quarta-feira, 30 de junho de 2010

/patriotismo sazonal

A força que o futebol exerce sobre o Brasil é admirável. De quatro em quatro anos, homens, mulheres, crianças e velhos vivem a mais sincera emoção de ser brasileiro e de praticar algo tão esquecido em outras épocas: o patriotismo. Vestir a camisa do Brasil, pintar a cara de verde e amarelo, pendurar bandeiras brasileiras na janela, no telhado, no carro... Tudo isso contagia quem quer que seja, até mesmo aqueles que se dizem não torcer pela seleção penta campeã, lá no fundo devem sentir o gostinho de ser mais brasileiros em época de copa do  mundo.

Mas é curioso como o brasileiro, após a copa perde a fé no Brasil, principlamente na política, justamente aqueles que são responsáveis pelo progresso ou não do país. No último jogo BRASIL x CHILE, fiquei observando a análise técnica, tática e histórica do próximo adversário do Brasil, a Holanda de várias pessoas que estavam ali presentes naquele momento. Mais tarde, depois da euforia do resultado, puxei assunto sobre os candidatos a governador de MG e não há nenhuma análise sequer histórica dos políticos. Votar em  qualquer um, porque é obrigatório.

É no mínimo revoltante o patriotismo sazonal do brasileiro, mas tomara que nessas eleições o entusiasmo em querer que o Brasil conquiste resultados bons se estenda e que possamos antes de votar fazer restrospectos dos políticos e levar em contar resultados anteriores. #forçaBrasil

3 comentários:

Éverton de Assis disse...

O esporte só é incentivado pelos políticos para ludibriar os eleitores diante de tanta mesquinharia.

André Almeida disse...

Edna concordo plenamente com você.

Jéssica Caixeta disse...

oii Edna,seu texto está no mural dos Correios! :D