segunda-feira, 18 de outubro de 2010

/a la Amelie

16 de outubro. Aniversário. Vinte e três anos. 23!
Acordei com 23 anos completos e resolvi fazer um bolo.
Acredite, com mais de duas décadas de vida tenho nenhuma experiência no fogão, pelo menos experiências bem sucedidas.
Talvez falte um bom livro de receitas, talvez tempo, ou dedicação, ou vontade apenas.
Mas um dia eu ainda aprendo, nem que seja na marra!
Apesar do empenho eu não fiz o bolo, minha mãe, com toda agilidade e falta de paciência fez sozinha.
De prestígio. Delicioso.
No fundo senti até um alívio de não ter que colocar a mão na massa!
Para minha surpresa, no entanto, no dia seguinte na casa da minha sogra me deparei com ingredientes, receitas e a proposta de fazer um bolo: eu fazer o bolo!
Foi nessa hora que me senti a Amelie Poulain.
E aqui cabe dizer que um dos momentos mais representativos do dia do meu aniversário foi assistir ao filme O Fabuloso Destino de Amelie Poulain.
Com olhos atentos durante todo o longa para captar os detalhes de um filme recomendadíssimo pela minha colega Juliana Cunha.
Amelie, linda, meiga e francesa, carrega características da infância: alguns pequenos prazeres que tornam o dia mais feliz. Possui uma imaginação fértil a ponto de bolar planos para deixar as pessoas próximas mais contentes com a vida, mas ela tem um medo incrível de encarar a própria realidade. No entanto, seu destino torna-se fabuloso quando ela se dá conta que oportunidades passam e não voltam mais. E então vive intensamente cada pequeno ou grande prazer.
Por isso o bolo de chocolate, ressalto que não era massa pronta, estilo Dona Benta, saiu.
E ficou bom, modéstia parte!

3 comentários:

Juh Cunha disse...

Ahhhh que post mais lindo! Que bom saber que Amelie fez parte do seu dia especial. Na verdade, Amelie é uma mistura fofa de todas nós mulheres, ne mesmo!
Assista e recomende muitas vezes esse filme. É genial, diferente, romantico e carrega um pouco de todas nós.
Um beijo amiga! ótimo blog!

Edna Motta disse...

Posso jurar que nesse post tem uma piotadinha de Amelie Poulain!

Anderson Wasser disse...

Oi Edna!
Este filme francês é demais!!! Deu até vontade de assisti-lo de novo.
Até mais.