segunda-feira, 13 de setembro de 2010

/semana do Jornalismo UNIVÁS


O Jornalismo UNIVÁS faz 22 anos e para comemorar o curso promoverá nos dias 16, 17 e 18 de setembro a Semana do Jornalismo, na unidade Fátima da Univás. Quatro palestrantes de peso comparecerão para discutir temas da profissão, entre os assuntos estão cobertura televisiva das eleições, fotografia digital e jornalismo científico. Para encerrar as comemorações, no sábado, a partir das 12h, haverá o 3º Encontro de Egressos.

Confira a progamação:

Data: 16/09
Palestrante: Claúdio Fernandes Dutra- Jornalista e Chefe de Reportagem da EPTV Sul de Minas
Tema: Os desafios da cobertura política de uma TV Regional
Horário: 19h30


Lançamento de livro Capoeira
Autores: Ana Paula Lambert e Carlos Manoel Pereira Laurindo, ex-alunos do Jornalismo UNIVÁS
Horário: 21h

Data: 17/09
Palestrante: Rafael Almeida Evangelista - professor da Unicamp
Tema: Jornalismo científico e os desafios atuais - A formação multidisciplinar em jornalismo científico
Horário: 19:30h


Exibição do Vídeo sobre os 22 anos do curso de Jornalismo da Univás
Autores: alunos do JII e JVI orientados pela professora Hellen Patrícia Morais Fonseca
Hora: 21h

Data: 18/09
Tema: Do analógico ao Digital- fotografia e mercado de trabalho
Palestrante: Seiji Hiraide- professor da PUC de Campinas
Horário:  9h

Tema:
O Jornalismo na Sociedade da Informação
Palestrante: Carlos Alberto Zanotti- professor da PUC de Campinas
Hora: 10h


Encontro de Egressos

Participantes: ex-alunos, alunos, professores, funcionários e convidados
Local: Ginásio Poliesportivo Unidade Fátima
Hora: 12h

2 comentários:

Adriano Carvalho disse...

Oi, Edna
Sei que faz tempo que o post está aqui, mas só hoje deu tempo de comentar.
Sou egresso do curso, tenho orgulho de ser jornalista e tudo o que conquistei de melhor na minha vida foi por conta da carreira.
Mas apanhei muito quando sai da faculdade porque o curso está muito distante da realidade do mercado. A Semana deveria ter mais palestras de negócios, temas como empreendedorismo, plano de negócios, mídias sociais, porque estes são os temas que o jovem jornalista vai precisar para prosperar.
O resultado desta falta de prosperidade é visível na procura pelas vagas do curso, a cada ano diminui mais. Em pouco tempo não teremos um curso para festejar.
Fica a dica para uma reflexão.
Abraço

Edna Motta disse...

Olá Adriano. Obrigada pela sua visita ao blog. Volte sempre e comente sempre também!

Eu consigo enxergar este problema que vc cita. Inclusive já tentei alertar sobre a falta de divulgação do curso, pouco interesse em levar pessoas realmente interessante à faculdade, mas há muita burocracia e a hirarquia não nos permite fazer mais.

Com 22 anos, uma estrutura bem montada, bons técnicos e professores, bom conceito no MEC, 60 vagas e não mais que 20 alunos no 1º ano, no 4º ano 8 ou 9 se formam apenas.

E se continuar esperando que a situação se resolva sozinha, que alunos apareçam no vestibular sem montar um plano de divulgação eficiente, bem planejado, o curso deixará de existir.

Falta aquela vontade de jornalista no próprio Jornalismo.
Att.