quarta-feira, 14 de outubro de 2009

/a comunicação no Brasil de 2014 e 2016

O "país do futebol" (em que qualquer campo é motivo de uma pelada) não poderia estar mais eufórico, primeiro pela Copa do Mundo em 2014 e depois por conta das Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro. Passada a euforia, no entanto, é hora de planejamento e trabalho. No campo da comunicação, a Abracom (Associação Brasileira das Agências de Comunicação) vê “uma agenda positiva bastante consistente para os próximos anos”.

O presidente a Associação, Ciro Dias Reis, fala da onda positiva no Brasil em termos de crescimento e da economia brasileira, afetada de longe pela crise que teve início no final do ano passado. “A Copa e as Olimpíadas vão turbinar esse crescimento já existente”, prevê. “Com base em nossas experiências internacionais, de fato há uma série de oportunidades que a gente pode prever. Tem a questão da infraestrutura, como hotelaria, obras necessárias e exigidas para a realização dos eventos, além de patrocínio".

Jornalistas, publicitários e relações públicas têm nestes acontecimentos esportivos um nicho de mercado. Foi pensando nas Olimpíadas de 2016, que a Editora Três vai lançar a revista 2016, com o objetivo de acompanhar as metas públicas, as questões sociais e o desenvolvimento esportivo do país ao longo dos próximos anos até a data da realização dos jogos.

O lançamento da revista 2016 está previsto para janeiro do próximo ano e tem data para acabar, junto com os jogos olímpicos. Até o final das Olímpíadas serão distribuídas 30 edições para todo o Brasil, gratuitamente, junto com a revista IstoÉ. A numeração da '2016' será, inclusive, em contagem regressiva.

É o jornalismo esportivo em pauta e exigindo dos focas, pelo menos daqueles interessados, estudo, leitura e produção a fim de enriquecer o portifólio para então disputar uma vaga na modalidade 'cobertura jornalística'.

Um comentário:

Mário Liz disse...

eu só espero que tanto a COPA D0 MUNDO, quanto as OLIMPÍADAS, não desviem o foco da opinião pública frente Às aberrações políticas do nosso país.

Recordo-me de 2006, quando o COPA DO MUNDO colocou panos quentes no mensalão.

Serviço para nós, comunicadores, graças ao bom Deus não há de faltar... e este é o lado ótimo da história ...rs!

Para o país, será sublime. Espero que junto às mudanças do país, a mentalidade dos eleitores e dos governantes também caminhe rumo a uma boa mudança.