domingo, 18 de outubro de 2009

/barrichello sai em 1º e chega em 8º

O esporte é assim, se um dia está feliz, em primeiro lugar, no outro, está lá em baixo, deprimido. Torcer é uma missão bem difícil, as emoções são instáveis e o humor varia de acordo com o desempenho do time ou do atleta. A culpa é mesmo do torcedor porque deposita todas as expectativas no seu ídolo esportivo.

Rubens Barrichello, por exemplo, era o Brasil no GP do Brasil. Conquistou a pole no sábado, os brasileiros então ficaram ainda mais atentos e esperançosos. Era a grande chance do piloto brasileiro. No domingo, no entanto, ficou com o 8º lugar. Triste. Button, seu companheiro de equipe consagrou-se campeão mundial. O pódium foi formado por Webber (Red Bull-Renault), Kubica (BMW) e Hamilton (McLaren). A próxima corrida, o GP dos Emirados Árabes servirá apenas para decidir o segundo lugar no mundial.

No Brasileirão, o líder perdeu o jogo, perdeu a chance de se distanciar do segundo colocado, perdeu até pênalt: o Palmeiras levou 2x0 do Flamengo, em casa. Mas ainda está na ponta, com quatro pontos de vantagem sobre o Galo, seguido do Inter e São Paulo, respectivamente. Nessa rodada, o Atlético Mineiro foi o único time dos quatro primeiros que venceu (1x0 no São Paulo), o Inter só empatou, 2x2, com o lanterna Fluminense.

Nenhum comentário: